Página inicial SetaNotícias SetaSoja enriquece cardápio da merenda escolar<br><i>Alternativa permite melhorar qualidade sem aumentar os custo</i>

Soja enriquece cardápio da merenda escolar<br><i>Alternativa permite melhorar qualidade sem aumentar os custo</i>


19/11/2003

x

Soja enriquece cardápio da merenda escolar<br><i>Alternativa permite melhorar qualidade sem aumentar os custo</i>

x

A Secretaria da Educação está incentivando a utilização da soja na merenda que é servida aos estudantes das escolas estaduais. Com receitas simples e fáceis de preparar, a merenda pode ganhar uma quantidade de proteínas bem superior ao que teria se incluísse feijão, ervilhas ou carne. A soja aparece como alternativa de menor custo e com alto teor protéico, permitindo o preparo de uma merenda com o valor nutritivo preconizado pelo PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), do MEC e a um custo próximo aos R$ 0,13 centavos que o programa repassa às escolas. De acordo com o PNAE, a merenda deve conter um mínimo de 350 calorias e nove gramas de proteína.

A soja já está sendo usada por algumas escolas de Goiânia e do interior. O que a Secretaria Estadual da Educação, por meio da Gerência da Merenda Escolar, faz agora é estimular esse uso, apresentando sugestões de cardápios, fornecendo um guia de receitas e oferecendo apoio técnico às escolas. São mais de 100 sugestões de utilização da soja para incrementar a merenda. Na maioria delas, a soja aparece complementando os pratos, como no preparo do arroz, do macarrão, de diversas sopas, caldos, farofas, bolos, tortas e pães.

A soja deverá ser usada em forma de grãos, de farinha ou em PVT (Proteína Vegetal Texturizada), uma das formas industrializadas do produto que ganha a aparência de carne moída quando hidratada. A intenção não é substituir as demais fontes de proteínas pela soja. O que a Secretaria quer é mostrar que a soja também é importante fonte de proteína vegetal.

Entre as escolas de Goiânia que já usam a soja está o Colégio Estadual Polivalente Modelo, o Centro de Educação de Jovens e Adultos (EJA), da Chácara do Governador; o Colégio Estadual Jardim Europa; o Colégio Estadual do Novo Horizonte; e a Escola Estadual Gracinda de Lourdes. Em Silvânia, por exemplo, quase todas as unidades adotaram a alternativa.

Projetos como este ou o das hortas escolares fazem o Programa da Merenda Escolar em Goiás chegar mais perto de seu objetivo maior que é o de oferecer a alimentação adequada às crianças, reduzindo os índices de evasão escolar. Muitos alunos têm na merenda escolar a principal refeição do dia. As hortas escolares foram plantadas em 40 por cento das escolas e servem para complementar a merenda e, também, como laboratório para aulas de educação ambiental, educação nutricional e educação sanitária.

 

Acesso Rápido